Revista Isto é – Janeiro de 2012

Nos últimos anos, mais brasileiros resolveram morar sozinhos e alguns milhões deles resolverem abrir o próprio negócio. Os dois fenômenos apontados pelo IBGE ajudaram a aumentar a demanda do setor de locação de imóveis. Saber quais as melhores opções de bens e conhecer a Lei do Inquilinato são os passos iniciais para quem quer investir no ramo. Segundo o consultor imobiliário Alex Strotbek, quem entra no mercado de locação deve estar disposto a obter resultados no longo prazo. “A maior vantagem é que os imóveis valorizam com o passar dos anos e o investidor dificilmente perde dinheiro”, diz. Antes de tomar a decisão, o diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi-Sp, Jaques Bushatsky, aconselha investigar as perspectivas de crescimento da região em que o imóvel está localizado. A partir dessa análise, o locador poderá comparar o valor do capital investido com os ganhos mensais. A seguir, algumas dicas para garantir um negócio rentável.

Prós e contras

Descubra os benefícios e os riscos de investir em um imóvel para locação.

VANTAGENS
O risco de perder o dinheiro é baixo. Um imóvel costuma se valorizar com o passar do tempo;
O imóvel recebe manutenção periódica feita pelo inquilino;
Com a chegada dos grandes eventos esportivos ao Brasil, o mercado de locação ficará mais aquecido nos próximos anos.

DESVANTAGENS
A legislação protege o inquilino e, por isso, o risco de inadimplência é alto;
O imóvel pode sofrer depreciação por fatores externos (como a decadência da região);
É um investimento sem liquidez, ou seja, o negócio precisa de um longo período para garantir retorno financeiro.

Direitos e deveres

As responsabilidades de proprietário.

LOCADOR

Entregar o imóvel em condições de uso;
Responder por problemas anteriores à locação;
Fornecer a descrição minuciosa do estado do imóvel;
Fornecer a os recibos discriminados de aluguel, condomínio e impostos;
Pagar impostos, taxas e prêmio de seguro contra incêndio;
Arcar com reformas que envolvam a estrutura do imóvel.

INQUILINO

Pagar pontualmente o aluguel;
Manter o imóvel em boas condições;
Restituir o imóvel no estado em que recebeu;
Informar o proprietário sobre qualquer dano ou defeito;
Reparar danos causados durante o período de locação;
Não alterar a forma interna ou externa do imóvel sem o consentimento do locador.

O locador deve ficar atento…

Ao cadastro do inquilino. É importante saber se ele é um bom pagador;
As possíveis ações contra o inquilino;
Ao pagamento do IPTU;
À manutenção do imóvel. O dono do imóvel deve fazer pelo menos uma visita ao ano.

O que fazer se o inquilino resolver sair?

É importante que ele comunique a saída com pelo menos um mês de antecedência;
O locador deve fazer a rescisão do contrato e checar se todas as despesas estão pagas;
Após o comunicado, o proprietário deve colocar o imóvel imediatamente para locação;
Se sair antes do período que consta no contrato, o inquilino deve pagar multa de rescisão, proporcional ao período que não cumpriu;
Também nesse momento, o locador deve fazer uma vistoria completa com a ajuda da maquina fotográfica;
Antes de negociar com um novo inquilino, o proprietário pode aproveitar para fazer pequenos acertos, como pintura, para valorizar e conservar seu imóvel.

Preste atenção no contrato

Por lei, todo contrato de locação deve ter vigência mínima de 30 meses;
No contrato, deve constar o valor do reajuste anual, para o inquilino não ter surpresas com reajustes abusivos;
O documento precisa ser bem detalhado e não pode haver brechas de interpretação;
Não se esqueça de chegar:
O valor do aluguel, forma e local de pagamento, modalidade de garantia (fiador, depósito prévio ou seguro fiança), discriminação dos encargos e destinação do imóvel (comercial ou residencial), duração e termo de vistoria.

Os problemas que podem dar dores de cabeça*

Pequenos reparos na parte elétrica e hidráulica: R$ 500 a R$ 700
Troca de um vidro de boxe quebrado: R$ 700 a R$ 900
Pintura profissionalizada: R$ 1,8 a R$ 2 mil
Dedetização do apartamento: R$ 2 mil a R$ 2,5 mil
Desgaste do piso de madeira: R$ 4 mil a R$ 5 mil
Reparação total de armários atacados por cupim: R$ 10 mil a R$ 12 mil

© Copyright 2014 :: www.arealpires.com.br

NiteróiWebSites Soluções em criação de sites
Loading...