Vereadores aprovam lei que obriga informar espera na rede de saúde

Projeto de lei aprovado na Câmara de São Paulo obriga a prefeitura a dizer ao usuário do sistema público de saúde o tempo estimado para que ele consiga a consulta, exame ou cirurgia que marcou.

Além disso, a administração municipal terá que informar ao paciente, por meio de página na internet, quantas pessoas aguardam antes dele e o andamento da fila.

O acompanhamento será feito pelo número de inscrição dos usuários no SUS (Sistema Único de Saúde), e não pelo nome deles, para resguardar o sigilo pessoal.

O projeto, de autoria da vereadora Juliana Cardoso (PT), vai à apreciação do prefeito Fernando Haddad (PT), que pode sancioná-lo ou vetá-lo. A previsão é que uma decisão saia até o final de abril. A tendência, segundo a Folha apurou, é que haja sanção.

Segundo a vereadora, o objetivo do projeto é dar publicidade aos dados da fila.

Informações sobre a quantidade de pedidos na espera só começaram a ser divulgadas pela prefeitura neste ano, depois que a Folha obteve por meio da Lei de Acesso à Informação dados referentes à espera de cada procedimento médico, em janeiro.

Os dados, referentes a outubro de 2012, mostravam que 661 mil pedidos aguardavam na fila. A Folha pedia os dados havia sete meses.

Novos dados, referentes a 31 de dezembro de 2012, mostravam que a fila havia aumentado para 800 mil pedidos. Agora, está em 780 mil.

O usuário, entretanto, continua sem saber quanto tempo efetivamente demorará para que ele seja atendido.

A Secretaria Municipal da Saúde afirmou ontem que estuda a implementação de área restrita no site, com acesso por meio de senha e do número do cartão SUS, que reunirá as informações do paciente, histórico de exames e datas das consultas.

Para ler essa matéria no site da Folha de São Paulo, clique aqui

© Copyright 2014 :: www.arealpires.com.br

NiteróiWebSites Soluções em criação de sites