Construção de apartamentos de apenas um quarto cresce em Santos

Em um ano, 27,4% das unidades lançadas tinham apenas um dormitório. Especialistas acreditam que construção de novas unidades é tendência.

As construtoras estão começando a investir em apartamentos de um dormitório nas cidades do litoral de São Paulo. De acordo com um estudo do mercado imobiliário da Baixada Santista, realizado pelo Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP), entre março deste ano e março de 2011, 1551 dos lançamentos foram desse tipo, o que representa 27,4% das unidades lançadas. O número de apartamentos de um quarto lançados na Baixada Santista é o maior entre as regiões analisadas pela pesquisa no Estado de São Paulo.

Renato Monteiro, diretor regional do sindicato na Baixada Santista, conta que haviam poucos apartamentos de um quarto na região e, por isso, está acontecendo um aumento significativo desses empreendimentos. De acordo com ele, os apartamentos de um quarto da pesquisa incluem flats, hotéis e unidades econômicas, que são as construções habitacionais do mesmo tamanho. “A gente vê um aumento de número de casas em que moram poucas pessoas”, explica.

Segundo Monteiro, são vários fatores que contribuem para a construção desses empreendimentos. O número de separações nos casamentos provoca a procura por apartamentos para uma pessoa só. Também houve o aumento da renda de universitários, que teoricamente saem de casa mais rápido. De acordo com ele, essa tendência é discutida em encontros mobiliários em todo o mundo.

O economista e consultor econômico em estudo imobiliário Robert Michel Varif, que foi contratado para realizar a pesquisa, confirma o desenvolvimento deste ramo imobiliário, principalmente na cidade de Santos. “Houve um crescimento, sem dúvida. O número de apartamentos desse tipo era muito pequeno na região”, diz. Ele não acredita que o pré-sal está influenciando a região e aposta em outros motivos para o crescimento. “Santos ainda não tem o perfil de segunda residência. O que está acontecendo é que para o imóvel ficar dentro do bolso do consumidor houve uma compactação no tamanho do apartamento”, explica.

Segundo o especialista, o preço do metro quadrado aumentou muito, o que dificultou a compra de unidades maiores e ocasionou a procura por apartamentos menores. Por isso, a pesquisa também aponta que os apartamentos de dois quartos ainda lideram os lançamentos na Baixada Santista, representando mais de 45% das unidades.

A pesquisa aponta que é preciso considerar no tamanho do imóvel e o número de pessoas nas famílias, que estão cada vez menores, conforme demonstram dados levantados pelo IBGE. Os imóveis também são cada vez mais planejados, graças à utilização de softwares e de modernas técnicas de engenharia, que permitem um melhor aproveitamento do espaço. Tomando por base o tamanho das unidades, os segmentos que contaram com o maior número de lançamentos e comercializações foram os de um ou dois quartos, e que, juntos, representam 77% do mercado, com um retorno médio de 10% ao mês.

 

Fonte: G1

© Copyright 2014 :: www.arealpires.com.br

NiteróiWebSites Soluções em criação de sites